top of page
  • deboraeisele

Roda de Conversa sobre Branquitude?

uma caixa de texto escrito "roda de conversa sobre branquitude" e "3a edição" e a foto do livro "o pacto da branquitude" da Cida Bento

Pois é, é isso mesmo que você leu no título desse texto. Aqui no Papodebs a gente promove essa tal Roda de Conversa. E pra contar como ela funciona, é óbvio que vou precisar contar uma história e bater um papo com você (zero surpresas né?).


A questão aqui é que sempre que rolava um episódio de racismo que saia na mídia a indignação tomava conta de mim (e de muitas pessoas). Acontece que quanto mais eu estudava sobre racismo, mais eu fui entendendo pra além desses episódios de racismo escancarado (como xingamentos racistas, gritaria no mercado), principalmente em como eu mesma, como mulher branca, reproduzia o racismo.


Só que, ainda que me angustiasse esse lugar de pessoa branca que entende sobre a responsabilidade na manutenção do sistema assim racista como é, eu nunca vi ou soube de um lugar que eu pudesse me aprofundar sobre o que é ser branco, sobre os privilégios, sobre o racismo no cotidiano e também caminhos práticos de mudança. E vou mais além, eu nunca soube de um espaço seguro em que tudo isso fosse possível.


E foi ai que pensei “já que não tem, vou construir esse espaço no Papodebs. Assim já vamos para nossa terceira edição (isso mesmooo!).

O estudo faz parte dos nossos encontros, inclusive, o livro que guia nossas trocas é o “Pacto da Branquitude” da Cida Bento. A gente ainda constrói uma pasta colaborativa com outras diversas referências para apoiar no nosso processo de construção de consciência.


E o que isso tem a ver com Justiça Restaurativa, Debs?


A relação é a base da proposta, tanto na perspectiva de COMO a Roda acontece e do PORQUÊ ela acontece. Os encontros são estruturados a partir de princípios e práticas da Justiça Restaurativa, trazendo a ideia de que ainda que discutir teorias, pesquisas e textos seja importante, a troca a partir de nossas histórias e nossa implicação no assunto, faz com que o aprendizado faça sentido e se construa a partir do cotidiano, do nosso contexto, apoiando na nossa construção de responsabilização.


A Pedagogia Griô entra nessa proposta também?


Ô se entra! Como aqui no Papodebs a proposta educacional é sobre Justiça Restaurativa a partir das contribuições da Pedagogia Griô, todas nossas iniciativas, estudos e propostas partem dessa base. Nas Rodas de Conversa em específico, buscamos uma retomada de histórias, desconstruindo a ideia de miscigenação pacífica, relembrando ancestralidades esquecidas, e fazendo do processo educacional a partir de nós e nossas histórias sendo o centro da aprendizagem.


As abordagens se complementam na busca de oferecer um espaço inusitado, cuidadoso, de trocas importantes e com muito aprendizado.


É como a Cida Bento vai comentar no seu livro “O pacto da branquitude”,

"muito se fala dos impactos negativos do racismo nas pessoas negras, mas pouco se fala sobre os impactos positivos do racismo nas pessoas brancas."

Se você também sente falta de espaços onde você pode falar sobre branquitude, reconhecer o racismo no seu cotidiano e pensar coletivamente em caminhos,


esse é o convite :)


roda de conversa sobre branquitude

São 4 encontros online, às quartas-feiras, das 19h30 às 22h30 e começamos no dia 20/03.


Para garantir sua vaga é só



.

9 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page